Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cinco de Cada Vez

A fotografia tem pouco a ver com as coisas que vemos, e muito a ver com a forma como as vemos..

A fotografia tem pouco a ver com as coisas que vemos, e muito a ver com a forma como as vemos..

Cinco de Cada Vez

27
Jun19

Soajo


cincodecadavez

IMG_8978.JPG

IMG_8990.JPG

IMG_9017.JPG

IMG_9032.JPG

IMG_9094.JPG

Depois de Brufe, foi a vez do Soajo..

Viagem de carro ao som de “Então mas hoje não vamos às cascatas?”, mas lá chegámos à vila sob um calor abrasador..

A curiosidade era muita e, por isso, dirigi-me imediatamente aos espigueiros..

Subi os pedregulhos e lá estavam eles, altivamente situados no cimo das enormes pedras graníticas, os vinte e quatro espigueiros da vila do Soajo..

Apresentam-se imponentes a quem ali se desloca para os ver.. Com vista para a serra, os pequenos celeiros do final do século XVIII e início do século XIX impõem-se na paisagem e compõem a Eira Comunitária da vila, sendo a sua principal atracção turística..

Estrategicamente colocados em locais elevados, para evitar que os animais comessem o sustento das populações, os espigueiros cumpriam a função de armazenar e secar o milho. Nas paredes, os pequenos rasgos faziam o ar circular e, no cimo, quase todos têm uma pequena cruz que simbolizava a devoção das populações que, dessa forma, acreditavam que o seu sustento estava resguardado de todas as maldições..

Sentimo-nos transportados para tempos longínquos..

Mas o Soajo não são só espigueiros e há toda uma vila para explorar..

Há ruas onde passam cursos de água, há casas de turismo rural, há a Igreja Matriz e restante património arquitectónico e cultural, e há ainda percursos pedestres nas imediações da vila, e a Lagoa do Poço Negro para os que se aventurarem num mergulho..

O Soajo é ponto de paragem obrigatória em todo e qualquer roteiro pelo Gerês e não espere encontrar nada menos do que um local de muita tranquilidade e bem vincado de identidade portuguesa..

21
Jun19

Brufe


cincodecadavez

IMG_8925.JPG

IMG_8927.JPG

IMG_8943.JPG

IMG_8949.JPG

IMG_8952.JPG

A cerca de cinco quilómetros da barragem de Vilarinho das Furnas, no concelho de Terras de Bouro, foi a vez de visitar Brufe, a aldeia de casas graníticas e dos cursos de água fresca..

Fomos literalmente recebidos pelo cavalo da fotografia.. Saímos do carro e lá veio o garrano, simpático e hospitaleiro.. Não deve ter gostado de ser fotografado, porque ao som dos disparos iniciou a fuga em direcção ao seu habitat natural..

Atravessei a estrada para depressa perceber o erro cometido, o grande erro que foi não ter almoçado no restaurante O Abocanhado, espaço de referência gastronómica na região..

O edifício, reconhecidamente integrado na paisagem, oferece uma vista soberba e infinita sobre o Vale do Rio Homem, na encosta da Serra Amarela, e só posso imaginar o que seja ali jantar, num final de dia de verão enquanto o sol se põe..

Ficou agendado em pensamento..

Depois de cirandar pelas imediações de O Abocanhado, foi a vez de passear pela aldeia, que é a coisa mais querida de sempre, autêntico património rural..

A vida ali é essencialmente agrícola, tudo é puro..

Fiquei com a sensação que sempre que ali voltar vou enternecer como na primeira vez..

Brufe, a aldeia bucólica..

 

 

19
Jun19

Gerês e os tons de verde e azul


cincodecadavez

IMG_8586.JPG

IMG_8798.JPG

IMG_9347.JPG

IMG_9398.JPG

IMG_8892.JPG

Albufeiras, rios, ribeiras, cascatas, lagoas.. Albufeiras, rios, ribeiras, cascatas, lagoas..
 
Água pura por todo o lado..
 
No Gerês não é fácil estar em silêncio absoluto.. Quase omnipresente é o som da água a despenhar-se nas rochas.. E é maravilhoso..
 
O Gerês é lindo em qualquer época do ano, mas particularmente apetecível na primavera e no verão, quando já é possível desfrutar das suas cascatas e serenas lagoas..
 
A primeira paragem a fazer, teria obrigatoriamente que envolver água, sob pena de os adolescentes a bordo da viatura, enlouquecerem os adultos com a pergunta "Onde é que estão as cascatas?", "Onde é que estão as cascatas?", "Onde é que estão as cascatas?"..
 
Apesar de seguirmos sem roteiro definido, não lhes correu mal porque, para além das águas límpidas para nadarem e acalmarem os nervos, ainda tiveram direito a rochas enormes que funcionam como autênticos escorregas naturais.. Foi a loucura total!
 
Ao final da tarde, descobrimos outra cascata para um banho refrescante, antes do jantar na vila do Gerês, e é inevitável a pessoa sentir-se em total comunhão com a natureza em locais assim..
 
No último dia de Gerês, viveu-se a verdadeira aventura dos trilhos e caminhos desconhecidos e não assinalados, que culminou na chegada a mais uma piscina natural digna de contemplação..
 
Demorámos mais de uma hora entre estacionar o carro e dar o primeiro mergulho.. Adolescentes sempre na linha da frente, quase sem precisarem de auxílio para transpor obstáculos..
A aventura incluiu subidas, descidas, caminhadas e, quase no final, ainda tive que fazer equilibrismo sobre um tronco que unia margens..
Valeu-nos o elemento masculino do grupo que garantiu uma aventura sem incidentes, que isto de as mulheres não precisarem dos homens para nada, às vezes não é bem assim..
 
Valeu cada metro percorrido..
São muitos tons de verde e de azul..
Uma pura maravilha..
 

 

17
Jun19

Gerês


cincodecadavez

IMG_8998.JPG

IMG_8584.JPG

IMG_9128.JPG

IMG_9274.JPG

IMG_9261.JPG

A primeira vez que estive no Gerês foi há muitos anos, adolescente talvez, mas tenho memórias muito presentes dos passeios e dos banhos em águas límpidas, naquelas maravilhosas lagoas e cascatas..

Pois bem, cerca de vinte anos depois, voltei por quatro dias, que se revelaram manifestamente insuficientes para visitar todos os pontos imperdíveis daquele santuário de natureza..

Não foi seguido um roteiro rigoroso, o que tem a vantagem de nos levar a locais imprevistos, que de outra forma nos escapariam, mas tem a desvantagem de se poder perder mais tempo em deslocações, entre pontos de interesse..

O Parque Nacional da Peneda Gerês compreende cerca de 70.000 hectares e inclui as serras da Peneda, do Soajo, Amarela e Gerês.. Abrange os distritos de Braga, Viana do Castelo e Vila Real.. A UNESCO considerou-o Reserva Mundial da Biosfera pela sua diversidade de fauna e flora.. Com sorte, é possível avistar um corço, ou um lobo ibérico, mas o mais provável é dar de caras com os pequenos cavalos selvagens de raça garrana que por ali circulam livremente. A determinada altura, vimos uma vaca que tinha sido atacada por um lobo e estava no chão, à guarda do pastor, enquanto o veterinário não chegava.. Cenas da vida real que nos levam directamente aos livros da nossa infância..

Património histórico e cultural também não lhe falta.. São as aldeias onde o tempo parece ter parado, os espigueiros, os castelos, vestígios romanos, pontes, moinhos, santuários, e a lista podia continuar..

O Gerês é um dos lugares turísticos de eleição em Portugal, onde há todo um mundo natural, cultural e de lazer a ser explorado, seja através dos belos trilhos que podemos percorrer, das águas cristalinas onde podemos mergulhar ou dos miradouros cujas vistas nos cortam a respiração..

 

São incontáveis recantos por descobrir num lugar de inesgotável beleza..

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D